O que são e para que servem as placas fotoluminescentes


Falar em sinalização de segurança contra incêndio e pânico é entender sobre o uso e benefícios de placas fotoluminescentes.

Obrigatória em edificações, à exceção de residências unifamiliares (apenas uma família) e áreas de risco, a exigência dessa sinalização foi criada em 2004 pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) com o objetivo de cumprir o que está acordado, sob ponto de vista técnico , na legislação brasileira.

Orientada pela norma brasileira NBR 13434, partes I, II e III, essa medida de segurança pressupõe padrões técnicos que devem ser avaliados a fim de que os locais em foco estejam salvaguardados de que tenham condições de segurança contra incêndio durante o tempo de uso e ocupação da edificação ou área de risco.



Placas fotoluminescentes na sinalização:

Conforme o parágrafo da NBR 13434, como orientar as pessoas, fazê-las localizar os equipamentos e as rotas de fuga, em caso de corte de energia, sem o mínimo de visibilidade? Diante de situação como descritas acima foi convencionado que as sinalizações por meio de placas fotoluminescentes têm como finalidade apontar rotas de saída de emergência e indicar as ações necessárias para orientar as pessoas, bem localizar equipamentos de combate a incêndio e alarme, como extintores, mangotinhos e hidrantes, por exemplo.



Para oferecer assegurar luminosidade ideal, as placas fotoluminescentes precisam ser produzidas com rigorosos controles de qualidade.


Funcionamento:

De acordo com a NBR 13434 o fator de fotoluminescência, ou seja, a duração de tempo de emissão de luz pela placa, deverá corresponder a um valor mínimo exigido. É isso que irá garantir a visibilidade no escuro.

É obrigatório que as placas fotoluminescentes sejam legitimadas por laboratórios reconhecidos e certificados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO) e os dados do desempenho de luminescência especificados na própria sinalização.


Segundo o texto técnico de sinalização de segurança contra incêndio e pânico, o desempenho das placas fotoluminescentes devem exibir os seguintes requisitos mínimos, em megacandelas por metro quadrado.


Após 10 minutos, deve ser de 140 mcd/m² Após 60 minutos, deve ser de 20 mcd/m²

A autonomia do sinal luminoso da placa deve ser de, no mínimo, 1.800 minutos, e as cores emitidas devem ser amarelo esverdeado para o período de autonomia e branco na ausência de luz ambiente.


Normas:

Devem corresponder às normas da ABNT NBR 13.434.

Outras condições desejadas para projeto desse tipo são:


* Propagação de chama (NBR 13.434-3 item 4.1) * Resistência a agentes químicos e lavagem (NBR 13.434-3 item 4.2) * Resistência a água (NBR 13.434-3 item 4.2.1) * Resistência a detergente (NBR 13434-3 item 4.2.2) * Resistência a sabão (NBR 13.434-3 item 4.2.3) * Resistência a óleos e gorduras (NBR 13.434-3 item 4.2.4) * Resistência a névoa salina (NBR 13434-3 item 4.3) * Resistência a intemperismo (NBR 13.434-3 item 4.4) * Fotoluminescência (conforme DIN 67510-1)

Siga-nos
  • Pinterest - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
Recentes
Outros posts